Arte: Admiração de Muitos, Entendimento de Poucos

A Arte do Descaso. O título do livro fala por si só. Trata-se de uma – podemos dizer – profunda investigação sobre o maior roubo a museu do Brasil. Listado pelo FBI como um dos 10 mais “importantes” roubos de arte do mundo, que aconteceu aqui no seu país, e eu tenho certeza que você nem se lembra.

24 de fevereiro de 2006 o museu Chácara do Céu, em Santa Tereza – RJ, foi roubado. Entre os artistas que foram levados estavam: Dalí, Matisse, Monet e Picasso. Quatro figuras importantes da arte. Mas você sabia disso?

Aqui que se encaixa o título do meu texto. Apesar da ampla admiração de artes plásticas, como pinturas e esculturas, poucos sabem uma infimidade sobre os mesmos. Me cito como exemplo. Eu não sei apreciar uma obra de arte que tenha um real sentido e um grande valor. E quando grandes polêmicas (que já foram esquecidas) como a do Queer Museum acontecem, minha opinião não tem relevância nenhuma na discussão.

Cristina Tardáguila, escritora do livro, fez um ótimo trabalho para me contextualizar na situação e me ensinar tudo o que pôde sobre arte, roubo e investigação. Sem praticamente nada para basear sua pesquisa, construiu um livro excelente com informações que nem a própria Polícia Federal se dignou a correr atrás.

Jornalista e fundadora da Lupa, primeira agência de fact-checking do Brasil, especializada em checar o grau de veracidade das informações que circulam no país, Cristina abre nossos olhos para um mundo que está na nossa fuça, mas não enxergamos. Nascida em Belo Horizonte e criada no Rio, ela consegue contar a história de forma confortável, mesmo para nós – os leigos no assunto – por se passar em um ambiente que conhecemos bem.

“A única coisa que une uma nação é a sua cultura, entende? Protegê-la é o mesmo que proteger a nação.” (pág. 119 do livro)

Essa frase me levantou uma interessante questão: será que o Brasil não consegue crescer tanto quanto pode pelo simples fato de que nossa cultura tão diversa não nos permite dar um passo na mesma direção? Claro que o Brasil poderia crescer mais de que cresce hoje nessas condições de diversidade. Entretanto, no ambiente em que vivemos hoje não somos ensinados a lidar com essa diversidade. Como então resolver essa situação? Fica aí a pergunta para você.

Quando se trata de assuntos mais palpáveis, como temos atuado? A arte do descaso não se trata somente das pessoas que estão em cargos altos e não fazem nada, mas de pessoas como a própria autora, que não tinha nenhuma relação com a situação e mesmo assim foi fundo, mais fundo do que os responsáveis pela função.

Essa é a proposta que te dou hoje: torne algo que não tem relação com você sua responsabilidade. Engaje em algo que te interessa, mas vá além do que o responsável foi e surpreenda. A você mesmo, aos outros e a quem não tem nada a ver com aquilo, também. Faça mais que a sua parte. Só assim vamos mudar a tal “cultura do descaso”.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *